Pobre de Espírito ou Rico de Orgulho ?

“Bemaventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus” (Mateus 5:3).

É importante saber que esta afirmação não confere nenhuma bênção especial aos economicamente pobres! Há a impressão de que a pobreza, por si mesma, é uma bênção, e que ser economicamente pobre automaticamente significa que se é acarinhado e protegido por Deus, abençoado por ele em boas graças. Este equívoco faz com que alguns citem erradamente a passagem: “Bem-aventurados os pobres, pois deles é o reino dos céus”. Isso não é o que o Senhor disse, conforme está escrito em Mateus 5:3. Ele disse esta boa palavra para os“humildes de espírito”. (Em Lucas 6:20; lê-se “bem-aventurados vós, os pobres” e no mesmo contexto o Senhor fala condenação aos ricos. Em Marcos 12:37 diz que “e a grande multidão o ouvia com prazer”. Mas era necessário ouvi-lo e corresponder para ser abençoado. E nosso foco, em Mateus 5:3, tem que ser sobre uma qualidade espiritual e não sobre uma condição econômica.).

ProbresDeEspirito

O que significa ser “pobre de espírito”? É ter aquela característica fundamental de perceber que se é espiritualmente vazio, e que somente confiando em Deus se pode preencher esse vazio. Reconhecendo que é espiritualmente pobre, a pessoa humilde de espírito conhece a sua própria necessidade.

Ajuda pensar sobre o oposto de “pobre de espírito”. O contraste seria “orgulhoso de espírito”, auto-suficiente, arrogantemente independente. Há indivíduos com a atitude que diz “não preciso que ninguém me dê qualquer direção na vida. Eu posso passar muito bem sem qualquer padrão moral de uma fonte divina”. Este é o espírito moderno do humanismo. No Glossário do Humanismo o conceito é definido deste modo: “… uma visão da vida que é centrada no homem e sua capacidade de construir uma vida que vale a pena para si mesmo e seus parceiros, aqui e agora. A ênfase é colocada nos próprios recursos intelectuais e morais do homem, e a noção de religião sobrenatural é rejeitada.”

O humanismo diz que o homem não precisa de um Salvador, não deverá confiar no evangelho, e não precisa de qualquer bênção espiritual. Isto é o oposto de “pobre de espírito”. E esta arrogância e rebeldia contra Deus são ilustradas pelo rei babilônio descrito em Isaías 14 (veja Isaías 14:12-15). Esta mesma perspectiva é ilustrada na atitude daqueles que tentaram construir a torre de Babel (veja Gênesis 11:4). O motivo principal era a glória do homem. Eles eram pobres de espírito, mas ricos em orgulho humano.

Ser pobre de espírito é ter a disposição descrita em Isaías 66:2: “… mas o homem para quem olharei é este: o aflito e abatido de espírito e que treme da minha palavra”.

-por Warren E Berkley